Home / Corte e confecção / Confecção ou Private Label: como escolher?

Confecção ou Private Label: como escolher?

Se você pensa em produzir uma coleção de moda e seus produtos, há uma dúvida que com certeza irá surgir: qual a melhor modalidade de produção para o seu tipo de negócio. Essa é uma dúvida normal para qualquer produtor do setor têxtil. Como escolher uma confecção?

E é sobre isso que traremos neste texto! Vamos explicar o que faz uma confecção e um Private Label, e qual é o mais indicado para cada tipo de atuação. Após ler este texto você saberá não apenas qual a melhor modalidade, mas também descobrirá com quem se informar caso haja qualquer dúvida relacionada ao tema. Enfim, boa leitura!

A diferença entre confecção e Private Label

Não existe muito segredo. Quando se fala de confecção, estamos falando da modalidade responsável por fazer do corte à costura e embalagem da peça. No caso de Private Label, ela fazem os mesmos processos, adicionando o fornecimento de tecido.

Conforme falamos neste post, existem algumas características que cada modalidade possui e que mostram as diferentes aplicações que cada uma tem. No caso de Private Label, por exemplo, estamos falando sobre a terceirização da produção como um todo.

O que é o Private Label

Terceirizar a produção significa que você delega os processos de modelagem, pilotagem, compra de matéria-prima, confecção e embalagem para uma empresa externa. Existe a possibilidade de escolher os fabricantes envolvidos no processo, mas isto vai depender do seu nível de criteriosidade.

como escolher uma confecção
Figura 1 – Como escolher a melhor forma de produção?

O Private Label é uma boa indicação para quem não tem uma infra-estrutura estabelecida ou fundos para investir em linhas de produção em curto prazo. Além disso, acaba sendo uma ótima opção para quem está começando, já que você pode contar não só com a parte estrutural a seu dispor mas também com um know-how de como o setor funciona. Fazendo assim, marcas novas conseguem produtos prontos em menor tempo.

E a confecção, o que é?

No caso das confecções, que também são conhecidas como oficinas de costura, apenas a produção – corte ao acabamento do produto – passa pelo processo de terceirização. Isso significa que quem solicita a produção precisa correr atrás dos fornecedores de matéria-prima. Além disso, essa opção acaba tendo algumas limitações na sua aplicação.

Como a oficina de costura não garante a entrega da mercadoria, a logística é um ponto adicional a ser pensado. Para que a matéria-prima seja entregue na oficina e as peças prontas nos pontos de venda, é necessário ter todo um esquema logístico. Isso é algo à parte da confecção e que pode dar dores de cabeça, já que cria uma dependência maior de terceiros.


Confira também: Conheça a Engenharia da Modelagem


Outro problema é com relação ao aproveitamento da matéria-prima. Como é a oficina quem se encarrega da produção, não é possível ter controle sob a quantidade de material gasto ou que é desperdiçado. Com isso, os custos de produção podem aumentar, sem que haja como agir diretamente contra isso.

Como vantagem desta modalidade podemos citar o custo, que mesmo tendo os problemas acima, acaba tendendo a ser menor do que com o Private Label. Isso acontece porque o preço acaba sendo baseado em cima da matéria-prima, que é paga à parte.

Outra vantagem que podemos citar é que como o processo de corte e costura ocorre no mesmo lugar, isso acaba permitindo um trabalho coeso e sem problemas de entrega entre estas atividades. Algumas empresas do setor podem oferecer serviços adicionais, que mudam de acordo com a terceirizada que presta tais serviços.

Como saber se um Private Label ou confecção é de qualidade?

Após fazer a escolha (que indicamos como deve ser feita no último parágrafo), você deve seguir algumas dicas para ter certeza de que o lugar escolhido é credível. De nada vale optar por algo que funcione para sua marca, mas contar com maus fornecedores de serviço ou que não se alinhem com suas políticas. Além de saber como escolher uma confecção, siga estas dicas:

Peça para visitar o local

Se você preza por zero envolvimento com qualquer tipo de trabalho irregular, essa dica é ainda mais importante. As confecções costumam ter a estrutura produtiva no mesmo local de atendimento aos clientes. As Private Label, no entanto, costumam trabalhar com facções terceirizadas. É necessário analisar a estrutura física e as condições de trabalho dos funcionários.

Peça também para ver algumas peças confeccionadas pela empresa. Uma forma de conhecer mais sobre os problemas que envolvem trabalho irregular e o que tem sido feito nesse sentido é através da Fashion Revolution. A ideia do grupo é de atuar na conscientização e combate do trabalho irregular no ambiente da moda. Isso é um ponto muito sério na hora de pensar em como escolher uma confecção.

Analise a matéria-prima

Como as Private Labels geralmente pedem que você use o material que elas compram ou produzem, analise se esse processo é o ideal para a sua marca. Apesar da comodidade de ter um fornecedor a menos para lidar, não comprar a matéria-prima implica em ficar limitado às escolhas que a PL te der. Avalie o que for melhor para a sua coleção.

Defina o target antes de negociar o preço

É fundamental que você saiba a meta do preço de venda dos seus produtos e o custo que ele deve ter. Esses valores devem englobar as despesas da sua marca e a margem de lucro esperada. Negocie com a confecção ou PL tendo essa meta bem clara. Assim você irá evitar que a sua coleção não fique fora do custo necessário para uma coleção viável.

Figura 2 – Descubra as vantagens do Private Label

Faça a peça piloto antes de fechar a produção

Jamais pague antecipadamente a produção sem ter feito antes uma peça piloto. Pode ser um custo que você não estava estimando, mas vale mais a pena se decepcionar com um fornecedor perdendo apenas 1 peça do que uma produção inteira! Saber como escolher uma confecção também envolve medidas preventivas como esta.

Negocie olho no olho

Pode ser tentador pensar em um contrato, fazer o fornecedor assinar e querer relaxar depois. Mas a verdade é que, nesse ramo da moda, vale muito mais o que é acordado olho no olho e as visitas e acompanhamentos regulares, do que qualquer pedaço de papel assinado.

Seja o mais claro possível, tanto pessoalmente quanto nas fichas técnicas entregues para o fornecedor. Construir um bom relacionamento com o fornecedor vai lhe dar mais segurança do que buscar as vias legais, principalmente quando se trata de Brasil.

Precisa de ajuda em como escolher uma confecção ou Private Label?

Mesmo com todas as dicas, sabemos que escolher entre um Private Label ou uma confecção não é tarefa mais simples do mundo da moda. Mas fique tranquilo que podemos te ajudar! Quer falar com um especialista para escolher o melhor tipo de confecção para a sua marca de moda? Clique aqui e envie a sua solicitação.

Assim você saberá como escolher uma confecção ou Private Label que atenda suas necessidades da melhor forma possível.

Sobre Luiza Freitas

Co-founder e Presidente da Fashion Office Especialista em Planejamento e Gestão da Coleção

Veja também

Produção, Corte e Costura: Qual a diferença entre private label, confecção e facção?

Quando se trata de produção, ou mesmo uma marca, existem diferentes opções de produzi-lo. Você …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Watch Dragon ball super