Home / Planejamento de coleção / Mix de Produtos e Cronograma de Coleção

Mix de Produtos e Cronograma de Coleção

Dias atrás falamos sobre como ter sucesso no planejamento de uma coleção. Como parte desse conteúdo, falaremos hoje sobre dois assuntos muito importantes na hora de criar uma coleção: o Mix de Produtos e o Cronograma de Coleção.

Para isso iremos discutir o que é necessário para ter um cronograma que aproveite da melhor forma possível as estações e datas comemorativas de cada ano, seja para o atacado ou varejo. Além disso, mostraremos porque o mix de produtos é importante na hora de desenvolver uma linha de sucesso.

Quer saber mais sobre tudo isso? Vamos lá!

Cronograma de lançamento

Um passo muito importante no lançamento de uma coleção é agenda-la para o melhor período possível, ou seja, para quando seja mais adequado e proveitoso fazer esse lançamento. Esses períodos mudam entre atacado e varejo, e veremos essas diferenças a partir de agora:

Varejo

Entre março e abril são feitos os lançamentos de inverno. Os produtos que são voltados ao inverno precisam ser lançados nesse período porque é quando a indústria e os outros playes fazem isso, e se você não fizer, irá automaticamente ficar atrás da concorrência. Imagine que ruim caracterizar sua marca como atrasada, não é mesmo?

Em agosto e setembro é quando ocorrem os lançamentos primavera-verão, tendo em outubro os produtos de alto verão. A diferença entre esses dois períodos é que em agosto e setembro as peças costumam ser de transição, deixando para outubro as peças mais leves. Essas últimas são as que acabam bombando no Natal, um dos melhores momentos para venda nesse ramo.

mix de produtos
Figura 1 – Confira o caso hipotético mais abaixo

Posso atrasar algum desses cronogramas?

No Brasil até pode haver um atraso nos lançamentos de inverno, mas isso não pode acontecer nos lançamentos de verão porque se não você pode perder o timing do Natal, o que é péssimo para qualquer marca. Falando em Natal, é bom lembrar de outras datas comemorativas que podem ser aproveitadas.

Em janeiro podemos fazer as liquidações de verão. Fevereiro é o período em que coleções ligadas ao Carnaval se tornam interessantes. Em março o Dia Internacional da Mulher é uma opção para se trabalhar. Abril tem a páscoa, que pode ser útil para lançamentos infantis ou temáticos.

Maio tem a segunda principal data para o varejo: o dia das mães. Em junho temos outra data que vende muito: dia dos namorados.

Ou seja, já deu pra ver que todos os meses possuem datas que podem ser utilizadas de forma útil para o seu lançamento. O importante é saber como fazer. Essas datas podem ser exploradas através de estampas exclusivas, peças de marketing (posts, vídeos e artes gráficas) e outros tipos de conteúdo.

Sendo assim: use a criatividade para mesclar datas e lançamentos!

Atacado

As datas para o atacado mudam bastante. Em abril e maio deve-se lançar os produtos de primavera-verão. Essa antecedência tão grande é explicada pela necessidade de criar o mostruário para o representante vender isso externamente, o que vai gerar pedidos por parte das lojas, sendo um processo que demora na maior parte das vezes.


Confira também: Você usa Personas na moda?


Seguindo essa regra, em julho é realizado o lançamento de alto verão e em setembro/novembro os lançamentos de inverno.

Case Prático: Fashion Girls

Vamos dar um exemplo de como isso funciona através de um caso hipotético. A loja fictícia Fashion Girls localiza-se no centro de SP e é focada em modinha feminina. Vamos começar esse planejamento como se estivéssemos no mês de março. Sendo assim, o lançamento de produtos desta marca seguiria o esquema abaixo:

Março

Lançamento da coleção de inverno. Entrando com peças mais leves, atenderíamos a demanda de inverno, mas de forma amena, devido a não chegada do frio ‘de verdade’ nesse período. Poderíamos incluir shorts, botas e peças desse naipe.

Abril

Campanha do dia do beijo. Sabendo dessa data e que nossa linha é feminina, pode-se criar uma ação de desconto na loja. Algo que pode ser feito é dar descontos se as clientes postarem uma foto beijando alguém e com a hashtag definida pela marca.

Maio

Dia das mães. Pode-se utilizar uma campanha “Mãe e Filha”, criando produtos que possam ser vendidos em conjunto, e estimulando o uso de redes sociais para divulgação dos produtos pelas compradoras, já que é um período em que grande parte das pessoas publica fotos com suas mães.

Junho

Dia dos namorados. Por ser uma data muito importante para as vendas, não podemos esquecer dela. Algo que pode ser feito nesse período é lançar peças de inverno mais pesadas, ligando isso com a ação do dia dos namorados.

Julho

Dia da amizade. Como último exemplo, temos em julho o dia da amizade. Uma forma de aproveitar essa data é realizar sorteios entre pessoas que postarem determinada foto com produtos da loja e hashtags específicas, por exemplo.

Não se esqueça das Feiras

Um dos grandes segredos do setor de moda é não apenas vender bem, mas comprar bem. Para isso a participação em feiras é essencial. Eventos como FFSP, Salão Moda Brasil e FIT te ajudam a mostrar sua marca para lojistas e contatos do setor, o que pode impulsionar o seu negócio. Isso é o que te ajudará nas vendas.

Na hora das compras, eventos como Inspiramais, Fevest Festival e Maquintex são aqueles locais onde você irá não apenas comprar produtos mas saber o que está acontecendo no mercado. Mesmo que você não tenha a intenção de comprar produtos destes nichos, visite esses eventos como forma de pesquisa de mercado.

Isso é uma ferramenta muito importante para saber o que o mercado está criando em tecnologia para o setor como um todo.

Mix de produtos e sua importância

Agora que você sabe quando deve lançar um produto, que tal discutirmos sobre a diversidade dentro de sua linha? Mesmo parecendo algo simples, esse é um dos pontos que pode decidir o sucesso ou não da sua marca ou linha de produto, e isto por vários fatores diferentes que discorreremos a seguir.

Por mais que um cliente saiba o que quer na hora de consumir seu produto, é esperado que ele procure por opções. Dificilmente a clientela procura apenas um produto específico. É necessário ter opções de cores, tamanhos, formatos e produtos em si.

É aí que entra o conceito de mix de produtos. Tendo uma variação de produtos dentro de uma coleção, você alcançará um público muito maior, tendo em vista que mais pessoas serão atingidas, devido aos diferentes gostos que cada pessoa pode ter. Há também a chance de levar os consumidores a gastarem mais, devido à grande variação de produtos.

Figura 2 – Fique atento aos seus fornecedores

Não produza ‘às cegas’

Na hora de produzir peças diferenciadas, não basta apenas tomar essa decisão, mas é preciso saber o que produzir, de forma que atenda seu público. Uma frase que devemos lembrar nessa hora é:

Produza o que seus clientes precisam, não o que você acha que eles precisam.

Para ter esse conhecimento, invista em pesquisa de mercado. Entenda as tendências de seu nicho específico, analise a concorrência e não tenha medo de perguntar.

Nesse passo indica-se contratar o trabalho de uma consultoria de moda, já que assim você poderá contar com especialistas no setor e aumentar suas chances de sucesso.

Não exagere

Por mais que o mix de produtos seja importante na montagem de sua estratégia, lembre-se que não é apenas criando dezenas de produtos em uma linha que você a fará vender mais. Nessa hora é válido ter cuidado com o dimensionamento do mix.

Uma das ações que pode ser tomada é ir lançando novos produtos aos poucos e medindo os resultados. Dessa forma é possível avaliar se o mix de produtos está prosperando ao longo do tempo. Percebendo melhora nos números, é possível investir mais em determinado produto e obter melhores lucros.

Tenha os fornecedores certos

Talvez esse seja um dos passos que pouca gente do setor se importa, mas que pode ser essencial na hora de implementar o mix de produtos em sua estratégia. Ter fornecedores confiáveis e pontuais fará com que a diversificação da sua coleção permaneça funcional ao longo de sua existência.

Não é nem um pouco saudável para uma marca ter que tirar produtos do mercado pela falta de matéria-prima, mesmo que seja algo pontual.

Ter uma boa relação com os fornecedores corretos permitirá que seu estoque esteja sempre bem suprido e permitirá flexibilidade, caso seja necessário aumentar ou diminuir a distribuição de algum dos produtos da coleção.

Precisa de ajuda com seu mix de produtos?

Como você viu nesse texto, existem passos e características muito importantes na hora de desenvolver um cronograma e um mix de produtos para sua coleção. Não é só decidir e sair fazendo sozinho, é necessário ter as ferramentas e o conhecimento certos para isso.

Se você sente dificuldades para aplicar esses conceitos em sua marca, não precisa sofrer: fale conosco! Esse post é apenas uma introdução ao assunto, ou seja, podemos te ajudar de uma forma ainda mais profunda.

Use a sessão de comentários ou nossas redes sociais e email para entrar em contato. Será um prazer ajudar o seu negócio a ter sucesso!

Sobre Luiza Freitas

Co-founder e Presidente da Fashion Office Especialista em Planejamento e Gestão da Coleção

Veja também

Moda Praia: O que não pode faltar em uma coleção

Como costumamos falar, é necessário conhecer suas personas na hora de criar uma coleção. Este …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Watch Dragon ball super