Home / Mix de produtos / Os Erros mais comuns no Mix de Produtos
Vintage Style - blurred luxury clothing store in shopping mall

Os Erros mais comuns no Mix de Produtos

Como já falamos aqui, mix de produtos é uma das coisas mais importantes para qualquer marca de moda. Os benefícios que ele traz para os negócios do setor fashion são inúmeros, e vamos relembrar alguns deles por aqui. Mas de nada adianta saber para que a técnica serve e como ela deve ser aplicada se você não evitar os erros mais comuns no Mix de Produtos.

Sendo assim, iremos falar hoje sobre quais erros você deve evitar para que o seu mix seja efetivo e proveitoso. Dessa forma você conseguirá não apenas criar um mix de produtos adequado, mas também evitar os erros no mix de produtos mais comuns que existem.

Ao final do texto, indicaremos onde pedir ajuda para criar o mix ideal para os produtos com que você atua. Não perca!

O que é mix de produtos?

Antes de apontarmos os erros no mix de produtos, vamos falar um pouco sobre o que é o mix, para que você entenda o contexto. Chamamos de mix de produto a variação das categorias de produto dentro de uma coleção. Existem três categorias gerais que devem ser respeitadas, que são:

  1. Produtos Básicos
  2. Produtos Moda
  3. Produtos de Vanguarda

Esses três tipos de produto devem compor toda sua coleção, pois estudos extensivos mostram que eles são a melhor forma de ter efetividade na hora das vendas. Mas não basta apenas ter as três categorias representadas, é necessário respeitar algumas regras para que ele funcione.

Figura 1 – Descubra quais aspectos devem guiar seu mix de produtos

Por exemplo, cada uma dessas categorias possui uma porcentagem indicada para compor a coleção. Para evitar erros no mix de produtos, considera-se que 40% da coleção deve ser com produtos básicos se ela for tradicional ou 20% se ela for uma coleção fast fashion.

Para produtos fashion, indica-se que até 40% dos produtos componham a coleção, independente se ela for tradicional ou fast fashion. No caso de produtos de vanguarda, 20% da coleção tradicional deve ser deste tipo e até 40% da coleção fast fashion.

Lembrando que esses percentuais são apenas exemplo. Você precisa encontrar a melhor proporção de básico, moda e vanguarda que funcione e dê equilíbrio na sua marca de moda.

Mas o que são essas categorias, e como saber o que as define? Vamos ver!

O que é básico, moda e vanguarda?

Quando falamos de produtos básicos, estamos indicando peças que tenham uma chance quase total de vendas. São roupas que pegam pouca coisa das tendências fashion do momento, mas que agradam a maioria do público por estarem alinhadas com os padrões gerais de moda do momento.

A categoria de vanguarda engloba as peças com mais informação de moda, aquelas em que são visíveis as tendências atuais. Isso é caracterizado nos designs e no tecido que compõe o produto, por exemplo. Devido a essa ligação com o mundo da moda, são produtos que costumam ter uma ‘data de validade’, caindo em desuso no curto prazo.

Os produtos na categoria de Moda são aqueles que ficam no meio do caminho: não são básicos, mas também não têm um ciclo de vida tão curto quanto os produtos de Vanguarda.

Se você quiser entender mais sobre mix de produtos, veja o link abaixo!

Mix de moda na coleção

Que tal saber agora quais são os erros no mix de produtos mais comuns? Vamos listar alguns deles:

Os erros no mix de produtos

Preenchimento errado da planilha de mix

Na hora de trabalhar com mix de produtos, é importante elaborar uma planilha que deve ser utilizada para organizar isto da melhor forma possível. Um dos objetivos da planilha de mix de produtos é determinar qual será a composição da coleção. Isso engloba os tipos de produto e informação de moda, por exemplo.

Ela deve ser feita ANTES de criar a coleção. Deixar para preenchê-la depois só irá trazer retrabalho, pois o estilista terá que cancelar modelos que estão sobrando e desenhar novamente os modelos que estão faltando.

Preço do produto depois da pilotagem

Sabemos que não é possível saber 100% do preço antes de confeccionar a peça. Porém, o estilista já deve ter uma noção dos custos de matéria-prima e mão de obra. Deve-se utilizar essa informação antes de começar a criar os produtos.

Isso porque a coleção desenhada já será realizada com o balanceamento adequado de produtos mais baratos até a faixa de preço mais alta. Isso ajuda a criar opções viáveis de venda para seus clientes.

Figura 2 – O Mix de Produtos não pode ser feito à esmo. Atraia seus clientes!

Não se atentar para particularidades da marca

Sabemos que uma camiseta branca é um produto básico, mas se a sua marca não faz nenhum tipo de camiseta lisa, qual é o produto básico da coleção? Um erro muito comum é não considerar o que é básico ou fashion no contexto da sua marca.

Essa atitude pode desencadear uma confusão na cabeça do estilista. Para evitar isso, defina regras claras de quais são os produtos básicos, comerciais e fashion dentro do contexto do DNA da sua marca.

Quero fazer um mix de produtos!

Que tal ter um especialista para auxiliar a sua marca na composição do seu mix de produtos? Contrate um coaching de moda agora mesmo e obtenha o auxílio necessário na tomada de decisão.

Se você tiver dúvidas gerais, envie para nós através dos comentários abaixo ou pelos nossos canais oficiais de comunicação.

Sobre Luiza Freitas

Co-founder e Presidente da Fashion Office Especialista em Planejamento e Gestão da Coleção

Veja também

Vem aí o Desafio Fashion Office!

Já pensou em ver uma espécie de reality show feito por nossa equipe, mostrando todo …

2 Comentários

  1. Matéria objetiva e com clareza.
    informações com conteúdo, excelente nível profissional.

  2. Vou lancar uma coleção de moda e gostaria de orientação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Watch Dragon ball super