Home / Planejamento de coleção / Planejamento de coleção: como ter sucesso

Planejamento de coleção: como ter sucesso

Na hora de fazer o planejamento de coleção e lançar produtos, existe o risco de partimos diretamente de um gosto pessoal antes de entender o mercado, como ele funciona e quais o procedimentos necessários para que um lançamento tenha sucesso efetivo. Como saber tudo isso?

É o que você aprenderá agora! Seguindo os passos corretos, é possível economizar tempo e dinheiro, além de ter retorno de uma forma mais rápida. Se você tem interesse em descobrir como ter sucesso em seu lançamento de coleção, acompanhe nossas dicas.

Este post servirá pra te introduzir no que é necessário para lançar uma coleção de sucesso e nos próximos dias lançaremos uma segunda parte, focada em desenvolvimento e produção, fique ligado!

Planejamento de Coleção e seu ciclo

Quando se fala de produção, são 4 as etapas que compõe um ciclo de produção, sendo eles:

  1. Planejamento
  2. Criação
  3. Desenvolvimento
  4. Produção

Os dois primeiros pontos serão vistos nesse texto. Os demais estarão disponíveis em breve no blog!

Cada um dessas etapas tem subitens para que sejam satisfeitas. Por exemplo, é na hora do Planejamento que os custos são estimados. Na hora da Criação, define-se quais serão as personas e a matéria-prima da coleção. Ou seja, todas essas etapas tem uma igual importância na hora de desenvolver uma coleção.

Apesar dessa igual importância, vale lembrar que o planejamento é fundamental para o sucesso do projeto como um todo, já que sem ele não há como obter sucesso nos demais passos. Existe, por exemplo, o risco de se perder muito dinheiro nas demais fases se o planejamento for mal especificado.

O que acha de destrincharmos cada uma dessas 4 etapas? Vamos lá!

planejamento de coleção
Figura 1 – Planejamento de  coleção: item indispensável para o sucesso de produtos

1. Planejamento

Iremos definir alguns pontos importantes na hora do planejamento de coleção. São eles:

  • Segmento de mercado: moda feminina, infantil…
  • Posicionamento da marca: foco na qualidade, preço…
  • Estruturação da empresa: se haverá terceirização de processos
  • Fluxo de caixa: o que os valores disponíveis permitem fazer

Segmento de Mercado

No segmento de mercado é possível saber qual será o caminho central do produto, e mesmo que isso pareça algo óbvio, é necessário ter o segmento muito bem definido. Se trabalharmos, por exemplo, com mais de um segmento, isso poderá gerar problemas com relação ao nosso público-alvo. Quanto mais segmentos, mais complicado fica.

Para cada um dos públicos que trabalharmos, existirão diferentes detalhes que terão sua importância. Datas comemorativas, restrições a cores ou tecidos, custos…Logo, o público-alvo e a segmentação devem ser muito bem desenvolvidos e acertados no momento do planejamento.

A vantagem de ter um público específico é compreende-lo melhor e aumentando a assertividade do que for desenvolvido.

Posicionamento

O posicionamento define, por exemplo, o quesito novidade para uma marca. Se ela decide adotar este posicionamento, seus produtos precisarão ter uma rotatividade maior, lançando novas peças com frequência. Outra estratégia pode ser um foco nos preços baixos.

Com essa estratégia seu consumidor aliará sua marca com o baixo custo, logo seus clientes buscarão seus produtos devido ao preço mais em conta. A qualidade também pode ser uma das estratégias adotadas, buscando tornar-se referência naquilo que faz.


Confira também: Qual a vantagem da modelagem?


 

Como último exemplo, temos a estratégia de custo-benefício, que busca aliar qualidade com preço baixo, sendo necessário cortar custos em algum momento da produção. Essa estratégia tem o costume de funcionar, já que atrai dois públicos (o que procura qualidade e o que prefere economia).

Um bom exemplo é a Zara, que pode ser analisada tanto pela estratégia de novidade como de custo-benefício, dois posicionamentos adotados por ela no mercado global. Dificilmente escolhe-se apenas um posicionamento, mas há sempre um que predomina, e isso vai depender dos seus demais objetivos.

Estruturação

Na hora de mensurar a estrutura necessária para um projeto de coleção, é necessário quantificar suas pessoas e habilidades. Uma dica é utilizar 4 pilares para definir como as pessoas e suas habilidades devem ser analisadas:

  • Criação
  • Desenvolvimento
  • Produção
  • Vendas

Criação

A equipe de criação precisa ser definida pensando na sua estratégia de posicionamento. Se você está focando em qualidade, seu cliente é mais exigente. Logo, ele não aceitará criação copiadas de outras marcas, por exemplo. Dessa forma, se sua estratégia é de focar em qualidade, sua criação precisará ser original.

Definindo o que será necessário no time, é importante entender se ele é qualificado para o que você está mirando, ou se uma adequação técnica será necessária, como contratações e treinamentos.

time de planejamento de coleção
Figura 2 – Escolha o time correto

Desenvolvimento

É neste passo que o número de peças-piloto é definido. Uma dica que damos é para que o time de desenvolvimento atue ao lado do de Criação, para que as fichas técnicas sejam o mais claras possíveis. Como este é o documento mais importante de uma coleção, a falta de entendimento deste material poderá gerar alta nos custos desnecessariamente.

É importante também perceber quantas mudanças são necessárias no desenvolvimento da peça. Um mal-entendimento entre estilista e modeladora pode gerar custos excessivos e perda no tempo em detalhes que poderiam ser evitados. Um planejamento de coleção correto deve levar isso em conta.

Produção

A forma como a produção se dá (interna ou terceirizada) impacta no lançamento da solução, alterando o tempo de acordo com o modelo adotado. Tendo a produção interna, é possível ir liberando os produtos aos poucos e se for terceirizada, a liberação para a produção tem que se dar de uma vez só. Isso é apenas um exemplo de como a produção influencia no desenvolvimento de uma coleção.

Um dos pontos importantes na produção é analisar os materiais utilizados na coleção e perceber se o seu maquinário suporta aquilo. Pode acontecer de optar-se por detalhes relacionados ao produto a ser desenvolvido, o que poderá exigir o apoio de oficinas externas. Vale a pena ficar atento a isto.

Vendas

Vendas em atacado ou varejo mudam a dinâmica de um projeto. Cada uma das vertentes possui seu próprio calendário, não podendo um atrapalhar o andamento do outro. A modalidade de venda também muda. Se você é um e-commerce, existe um calendário para as vendas. Sendo loja física, essas datas mudam.

Isso envolve as ações de mercado e os custos envolvidos em cada processo (estoque, vendedores, etc). Além disso, é bom avaliar se existe a necessidade de representantes para vender a coleção. Se houver, é necessário que eles sejam treinados para vender a coleção da melhor forma possível.

Um exemplo que podemos dar é de uma loja paulistana cliente da Fashion Office e que atua com ecommerce, atacado com representação e loja física no varejo. Ou seja, é possível envolver diferentes meios de vendas, sendo necessário haver o planejamento correto para que isso funcione. A loja em questão se chama Purple Yellow.

Vale ressaltar que no caso acima eles não começaram com todas as modalidades de uma vez, sendo necessário fazer o melhor em uma para aí sim adotar outra modalidade de venda. Esse é um daqueles cases onde fica nítida a diferença de um projeto que passou pelo planejamento de coleção.

Fluxo de Caixa

Sabemos que pode não parecer um ponto importante, já que ligamos a criação de uma coleção com aspectos técnicos e de moda, mas ainda assim o fluxo de caixa tem sua importância. E isso pode ser resumido em uma frase:

Sem dinheiro não é possível lançar uma coleção.

Por isso é necessário analisar se o seu atual fluxo de caixa comporta a criação de uma coleção ou se será necessário obter mais receitas primeiro. Muitas vezes o sonho de lançar uma coleção atropela o caixa da empresa, trazendo prejuízos ao invés de lucro.

É necessário também ter uma boa reputação no mercado. Ter o nome limpo com os fornecedores e opções terceirizadas é sempre importante, porque na hora em que o trabalho apertar, eles irão te apoiar. Um exemplo disso é quando uma dada matéria-prima está escassa. Se você tem um bom relacionamento com seus fornecedores, com certeza eles levarão isso em conta quando for necessário priorizar clientes.

Porque confiar na Fashion Office?

Você pode acreditar no que falamos porque somos especializados em prestação de serviços para marcas, tanto novas como antigas. Nossa equipe é fixa e altamente qualificada, podendo criar soluções que se moldem àquilo que sua empresa precisa, garantindo assim um ótimo custo-benefício. Se o que você precisa é de Planejamento de Coleção, pode contar conosco!

Temos também um controle rigoroso de prazos, e somo totalmente orientados a ter transparência em todos os processos. Hoje nossos serviços são divididos em consultoria, assessoria e treinamento, dinamizando as formas de ajudar o seu negócio, atuando nos mais variados segmentos (fitness, pluz size, infantil, moda íntima…).

Planejamento de Coleção é só isso?

Com você pode ver, planejamento de coleção é algo difícil! Mas estamos aqui para te dar o apoio necessário. Nesse post introduzimos a você como criar uma coleção de sucesso e no próximo post iremos falar sobre o desenvolvimento de produtos e a produção em si.

Se você tem alguma dúvida ou precisar de apoio para criar sua coleção, fale conosco pelos comentários ou pelas nossas redes sociais. Queremos te ajudar a ter sucesso na moda!

Sobre Luiza Freitas

Co-founder e Presidente da Fashion Office Especialista em Planejamento e Gestão da Coleção

Veja também

Moda Praia: O que não pode faltar em uma coleção

Como costumamos falar, é necessário conhecer suas personas na hora de criar uma coleção. Este …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Watch Dragon ball super